Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Futebol’ Category

…ou O balanço de um ano que foi parar no lixo

Há muitos anos eu era fanático por futebol. Mesmo sem ter a menor habilidade com a bola, sempre gostei de assistir aos jogos do Atlético Mineiro. Tinha carteira de estudante, pagava meia entrada e ia ao campo duas vezes por semana, com chuva ou sol, na geral ou na arquibancada, lá estava eu gritando: “Vâmo ganhar, Galôôô!!!”

Mas há muito essa paixão se esfriou, principalmente depois que me mudei de Belo Horizonte para o Rio de Janeiro. Mas nunca deixei de sofrer quando o Galo perdia, e se encontrava em alguma situação difícil. Mesmo distante, sem pisar há muito no Mineirão, nunca deixei de me importar. Mesmo que beeeem de leve.

Em quatro anos, entre 1993 e 1997, frequentando assiduamente o Mineirão, nunca vi o Galo ser campeão de nada. Sempre ou batendo na trave ou nem chegando perto dela. Algumas vezes roubado, tudo bem, mas nesse período – e no longo período que continua até hoje, ter o título de campeão Brasileiro da segunda divisão como título mais importante – e quase único, é lastimável. É duro uma paixão que resista.

Me mudei de Belo Horizonte em 2001, e além da família, deixei pra trás as lembranças de qualquer time de futebol. Foi como um coma, daqueles que se passa anos desacordado e quando se acorda, não se lembra do que se passou nesse período.

Mas eis que a primavera de 2008, além de trazer flores coloridas e perfumadas, também me trouxe de volta a BH. E a paixão pelo Galo reacendeu. Não cheguei a voltar ao Mineirão, meio que com o pé atrás, mas passei a acompanhar mais de perto as notícias, as escalações. E, infelizmente o ano de 2008 acabou como vários outros: nulo. Sem títulos, sem classificações para torneios importantes, nem nada.

Mas 2009 está aí e com ele vem a esperança, alimento maior dessa massa atleticana que anseia por tempos melhores. Vem o Campeonato Mineiro. O Galo invicto, com um bom treinador, apesar de não ter um grande time, chega à final de campeonato mais previsível do Brasil: contra o Cruzeiro. O resultado do primeiro jogo, nem tão previsível assim: 5 x 0.

Assisti ao jogo em casa, sozinho, e a noite, meu filho, então com 5 anos, chega da casa do avô, onde também assistira ao jogo e, com cara de deboche, me avisa, como se eu já não soubesse: “uai, pai, o Galo perdeu feio pro Cruzeiro, heim?” A minha resposta pra ele foi automática: “esquenta não, filho, semana que vem o Galo ganha!” Aliás, foi nesse exato momento que eu percebi que nós, atleticanos, somos movidos talvez nem tanto por paixão, mas principalmente por esperança.

Bom, esperanças renovadas, treinador – nem tanto – renovado, vamos diretos pro Brasileirão, porque o Atlético simplesmente não disputou a Copa do Brasil. Com o time entrosado, o Celso motivado, o Tardelli inpirado e os principais clubes focados em outras competições, o Galo parte logo pra liderança, deixando todo mundo pra trás. Disputando apenas o Brasileirão (sim, porque o Atlético simplesmente não disputou a Copa Sulamericana, nós nunca realmente saberemos os motivos, principalmente os daquele time mixto que entrou pra perder pro Goiás mesmo!) “acho que fica mais fácil se concentrar nas partidas, acho que o time não sofre tanto com o desgaste físico e o professor tem mais tempo de estudar os outros jogos…”.

Na minha opinião tudo ia bem até o primeiro confronto contra o Cruzeiro. O Galo ganhou bem e convenceu a torcida, mesmo jogando contra um time reserva que levava o Brasileirão nas coxas enquanto o time principal disputava a Libertadores. Mas minha esperança foi abalada pela primeira vez quando um amigo, com bastante deboche, cantava que se o Cruzeiro tivesse jogado com o time titular, o Galo nunca teria ganhado esse jogo. Sabia que, doia admitir, mas, isso tinha um fundo de verdade, fato depois comprovado no segundo turno do campeonato.

E o Brasileirão foi acontecendo, o Cruzeiro perdendo a Libertadores, o Kaliu gozando o Zezé, que por sua vez replicando que a liderança deles (Atlético) seria uma coisa momentânea, passageira, e minha esperança foi abalada pela segunda vez. Será que essas história de liderança relâmpago, cavalo paraguaio, poderia ter fundamento?

Bom, e teve. Não demorou muito o Cruzeiro passou a frente do Atlético, que por sua vez nem uma vaguinha pra Libertadores fisgou, e mais uma vez mais um ano indo pro ralo, nulo. O desabafo do nosso presidente ainda no aeroporto resumiu o sentimento atleticano. A sensação é a de que o ano foi jogado no lixo. Mas, senhor presidente, não porque o atleticano prefira os anos anteriores, quando lutava pra não cair, mas porque há muito o clube nunca esteve tão perto de conquistar o Brasileirão, há muito não se tinha tantas condições de levantar o caneco. Nos outros anos, não. Uma posição a mais na tabela já era lucro. Mas em 2009, senhor presidente, nós queríamos era o título mesmo… :’-( E não foi culpa só do Celso, não, heim!?

Posso assegurar que, da minha parte, não faltou acreditar. Mas é acreditando de mineiro, sabe? Acreditando meio que desconfiado, cismado…

Mas o Luxa está aí, e o bicho vai pegar. Esperanças renovadas pra 2010? Nem tanto. Quero acompanhar de perto o Campeonato Mineiro, vou voltar a ir ao Mineirão, torcer pro time que sou fã. Tudo moderadamente, sem excessos, sem muita exaltação, porque se tem uma coisa que a história me ensinou, e tenho maturidade pra entender, é que “a vida não se resume em futebol”.

Read Full Post »

Trombose no time do Atlético – MG

Ontem os 11 jogadores do galo sofreram um dia de trombose, durante e depois do jogo.

A cabeça deles deveria estar assim:

Força, galo! Quem leva 5 também pode fazer 5!

O galo é o time da virada! O Galo é o time do amor!

Read Full Post »

Atlético – 100 anos de paixão

splash

http://www.atletico.com.br

Read Full Post »

Dá-lhe, GALO!

Marco zero nas comemorações do centenário do Clube Atlético Mineiro

Na narração da Rede Globo, o Kleber Machado disse que mostrar a bandeira do Atlético Mineiro não passou de uma provocação ao Frank Caldeira, vencedor da São Silvestre 2006, que corre pelo Cruzeiro Esporte Clube, também de Belo Horizonte.

CALA A BOCA, KLEBER MACHADO!!

Os dois atletas kenianos foram PATROCINADOS pelo Clube Atlético Mineiro. Nada de provocação! Se informe antes de falar!

Read Full Post »