Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Música’ Category

Roda Viva com Carlos Lyra

Anteontem foi ao ar pela TV Cultura o excelente Roda Viva, tendo Carlos Lyra como entrevistado, como parte das comemorações dos 50 anos de Bossa Nova. Na minha opinião o programa foi mediano, falou-se muito de rótulos e datas, pouco de música. Primeiro quero dizer que conheço pouquíssimo de Lyra, e que o meu conhecimento acerca da Bossa Nova resume-se a Tom, Vinícius e João Gilberto. Achei que o programa foi médio pois quase que o tempo todo foi discutido principalmente o marco-zero da Bossa Nova (o Lyra afirmou que na sua opinião – e na minha também, e na do Tom também – tudo começou com Chega de Saudade, do João Gilberto). Mas o que tem-se de oficial é que Canção do Amor Demais, de Elizeth Cardoso, em 1958, marcou o início de tudo.

1.gif

Não quero entrar nesse mérito, até porque os que entraram na verdade se passaram por grandes chatos. O próprio Lyra disse que o leque está aberto, e que o movimento que ele diz que não teve a intenção de criar, surgiu entre 1954 (quando ele compôs sua primeira música) e 1959, quando do disco do João. Aliás, e como insistiram com ele sobre essa intenção de formar a Bossa Nova! Mesmo ele negando que, na época, quisesse/pensasse em criar alguma coisa.

A coisa foi surgindo, os amigos, principalmente da zona nobre do Rio, foram se reunindo e fazendo música que lhes agradasse, sem o objetivo claro de inventar alguma coisa. Decerto o interesse comercial sempre existiu, mas a criatividade era tanta, que ninguém parou pra dizer: “vamos inventar um novo estilo, um novo movimento: a Bossa Nova” (mas todos queriam que o Lyra o dissesse), tudo fluiu naturalmente. Lyra disse que ele só se deu conta do que tinham criado, da grandeza disso tudo, foi durante a sua apresentação no Carnegie Hall, em Nova York.

(mais…)

Read Full Post »

Escrevi esse pequeno texto no sábado a noite, e o publiquei imediatamente. Mas por algum motivo o WordPress não o quis publicar. Será que deu bug no WordPress, ou fui eu quem apertou algum botão errado? Fico com a segunda opção.

Trabalhei na fábrica apenas num pequeno período do sábado a tarde, e resolvi tirar o resto do dia para ouvir apenas cantoras, em virtude do dia internacional da mulher. Essa é minha singela homenagem a essas guerreiras, sem as quais nós, homens, nada seriam.

Há uns 15 anos, quando eu só ouvia rock n’ roll, e odiava qualquer outra forma de expressão musical, a única cantora que eu gostava de ouvir era a Courtney Love, e sua banda de rock Hole. Também costumava ouvir Elis Regina, pois em casa todos gostavam dela, mas eu ouvia de tabela, não por gosto. Depois que conheci Billie Holliday tudo mudou.

cantora.jpg

Ouvi bastante Billie hoje. Sua voz é fantástica, poderosa. Isso aliado ao seu jeito peculiar de cantar, tornam Billie uma das maiores cantoras do mundo. Ela teve uma carreira curta, lançou poucos discos, mas mesmo assim tornou-se uma das mais importantes cantoras de Jazz. Sim, embora costuma-se dizer que Billie era uma cantora de blues, ela própria desmentiu isso. Um repórter a perguntou, e ela respondeu: “Sou uma cantora de Jazz”. Rótulos à parte, eu gosto muito de ouví-la cantar. Sua voz é muito marcante, te faz fechar os olhos e sentir a música. Assim como pode-se sentir a “parede se som” criada por Phil Spector, Billie faz você sentir a música dela, tão próxima que é possível sentir seu aroma.

Ouvi também Leila Pinheiro. Conheci um camarada que conhecia muito de música, me apresentou muita coisa nova, dentre elas Leila Pinheiro, que eu só tinha ouvido falar desde então. Ela é uma ótima cantora , tem toda aquela ginga brasileira, e canta bossa nova como ninguém. Ouví-la cantar Samba do Avião me encheu os olhos de lágrimas.

(mais…)

Read Full Post »

Publicado originalmente na Folha de São Paulo – 18/06/1994

O COMPOSITOR TOM JOBIM, que Chico Buarque qualifica de “mestre soberano” na canção “Paratodos”, rende reverência ao seu “discípulo”.

Sensibilizado com a homenagem, Jobim retribui com eloquência: “Para o Brasil, é uma coisa muito boa ter um Chico Buarque. Ele é um gênio da raça, depositário da cultura popular brasileira. Grande poeta, grande músico, grande letrista, grande escritor, grande tudo.

Eu nunca pretendi ser mestre de ninguém. Nem formado sou. Abandonei Arquitetura no primeiro ano, Chico, no último. Nem topógrafo, como ele, posso ser.

(mais…)

Read Full Post »

Eu tenho muito a dizer…

Eu tenho muito a dizer
Eu tenho muito a dizer
Eu tenho muito a dizer
Eu tenho muito a dizer

Mas não me lembro agora
Mas não me lembro agora
Mas não me lembro agora
Mas não me lembro agora

(mais…)

Read Full Post »

Esquece nosso amor, vê se esquece
Porque tudo no mundo acontece
E acontece que eu já não sei mais amar.
Vai chorar, vai sofrer, e você não merece,
Mas isso acontece.

Acontece que o meu coração ficou frio
E o nosso ninho de amor está vazio.

Se eu ainda pudesse fingir que te amo,
Ah, se eu pudesse
Mas não quero, não devo fazê-lo,
Isso não acontece.

(mais…)

Read Full Post »